Ninguém é perfeito e devemos ter consciência de que precisamos melhorar sempre, ser  mais sensatos  para que nos libertemos de pre-julgamentos e outras insignificâncias que nos tormam menos inteligentes emocionalmente e mais ofensivos em relação ao outro. Mesmo não querendo julgar, porque ninguém é juiz de ninguém, acabamos julgando.

É preciso rever conceitos e posturas para mudar o rumo dos pensamentos e das ações, para evitar  julgamentos. Agimos de forma quase natural avaliando e criticando o desempenho, o comportamento dos outros,  a ponto de comentar e arriscar outras possibilidades como se soubéssemos conduzir melhor a vida deles.  Valeria a pena  também avaliar como pensamos e agimos, para melhorar nosso comportamento, da mesma maneira que arquitetamos a vida de outras pessoas com quem convivemos, sejam pessoas da família, sejam amigos ou conhecidos. O fato é que pensamos que poderíamos fazer melhor, quando julgamos alguém.

É difícil se julgar, olhar para si mesmo e se desnudar  para se tornar melhor. E melhor só começamos a nos tornar, quando tentamos não  julgar as pessoas, o jeito de cada uma, suas ações, por piores que as consideremos, e passamos a nos julgar e a nos ver claramente em algumas ou muitas atitudes que reprovamos nos outros, embora muitas vezes nos comportemos iguais ou piores, não condizendo com as  qualidades que julgamos ter, por não percebermos os nossos próprios defeitos.

Comments

comments

Categorias: Blog

Ceiça Monteiro

Ceiça Monteiro - Acredito na força do pensamento e no poder das palavras, que precisam ser positivas para que nos tornemos mais iluminados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *