A menos que sejam segredinhos leves,  sem desdobramentos e consequências, não vale contar  nem ouvir segredos.

Aqueles considerados  pesados e perigosos costumam assombrar os que os guardam e, sem dúvida,  tira o sossego daqueles que decidiram compartilhá-los. É sabido que quando se conta para  um, onze  passam a saber, como o ditado diz.  Melhor então é segurar a língua se por acaso ouvir algum ou tiver também segredos, não os passe  adiante, não fale nada e deixe  a vontade de comentar ser levada pelo tempo.

Nada melhor que tudo  às claras, sem segredos,  para que seja possível viver e deixar viver  bem  e  isentos de julgamento.  Não vale a pena compartilhá-los, caso existam; é  preciso mantê-los guardados até que sejam totalmente abraçados pelo esquecimento que o tempo se encarregará de trazer.

Comments

comments


Ceiça Monteiro

Ceiça Monteiro - Acredito na força do pensamento e no poder das palavras, que precisam ser positivas para que nos tornemos mais iluminados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *