Há dias em que acordamos como se estivéssemos saído da uma tumba da idade média, vivendo a escuridão e se sentindo a mais feia das criaturas.

A gente se sente tão péssima que nenhuma roupa experimentada dará certo e nem adornos nos contentarão. O espelho, nesses dias de trevas, é o pior inimigo e se une à balança, que insiste em nos mostrar o quanto estamos inchadas; mesmo que estejamos no peso dito ideal, não  estaremos em paz. É o caos!

Que dias diabólicos esses! Tiram nosso prazer de pensar e agir e até o gosto pelo espelho, pois por menos vaidade que as mulheres dizem ter, não conseguem passar por um sem um close rápido. É puro magnetismo e poucas resistem a ele.

Entretanto, há dias iluminados, como se acordássemos no paraíso, com o prazer de viver à flor da pele. Tudo cheira a beleza e perfeição! Levantamos quase que flutuando, alma gratificada, beleza incontestável, olhar em tempo de magia, vendo as cores do arco-iris em nós. Dias esses em que deusas gregas, egípcias, romanas e africanas que habitam sóis, luas e estrelas descem à terra e se apossam das nossas almas.  É quando nos recompomos, nos integrando outra vez à beleza que às vezes não percebemos existir em nós. São momentos de encantamento que nos transforma em seres especiais, com ares de deusas no exercício do poder, pois nada nos abala enquanto deusas, sem registro de idade e sem problemas. É ser o que é com prazer.

O espelho nesses dias gloriosos reflete nossa beleza entre raios luminosos, escondendo nossas imperfeições reais, além daquelas que inventamos. São dias de alma flutuando, corpo perfeito e mente tranquila, como as belas deusas devem viver.

Comments

comments


Ceiça Monteiro

Ceiça Monteiro - Acredito na força do pensamento e no poder das palavras, que precisam ser positivas para que nos tornemos mais iluminados.

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *