Separação

Imagem 16
Passar por uma separação é sempre muito doloroso; e mesmo não se sentindo feliz e até tentando reverter a delicada situação sem sucesso, ainda assim, é difícil admitir o ponto final. Essa falta de coragem de aceitar que tudo acabou e por isso é preciso encerrar física e socialmente o que o coração e alma já não reconhecem mais, leva a um desgaste que poderia ser evitado se o processo não durasse tanto, se  fosse  finalizado antes que o convívio se tornasse  insuportável.
Dificilmente a separação acontece por erro de um só; e mesmo que alguém não se considere culpado, ainda assim poderá falhar quando se cala. Quando não se põe os problemas na mesa para solução, perde-se a oportunidade do  diálogo, que é  fundamental nas relações. Para evitar o confronto e chegar ao insustentável, é melhor assumir a separação enquanto  ainda é possível conversar,  entendendo que os dois estão perdendo e sofrendo juntos, não importando quem é menos ou mais culpado. Não vale retardar a decisão, quando não há mais nada de bom para dizer, já que a chama apagou de vez.
O problema se torna mais conflitante quando há filhos envolvidos  que, muitas vezes, são usados como escudos durante a discórdia.  Os filhos precisam sentir que os pais, apesar de separados, não se tornaram inimigos e poderão estar juntos em momentos importantes da vida deles. Só assim o trauma será menor e se sentirão mais confiantes no momento do estresse e  estarão mais preparados para enfrentar a nova realidade.
O fato é que durante o processo de separação até o final, costuma haver privação de sentido dos pais, que não percebem o mal que fazem envolvendo os filhos no conflito, com consequências sérias ao desenvolvimento deles. Por mais que o casal guarde ressentimentos, não deve repassá-los aos filhos para não alterar a imagem que esses  têm dos pais e a confiança que não podem perder. Os pais não devem  fazê-los confidentes e inconscientemente obrigá-los a julgar também.
Na separação há sempre dois perdedores principais, além dos  filhos e familiares mais próximos, que são atingidos também , pois sabem que terão o convívio reduzido ou  nenhum  com aqueles com os quais conviveram e abraçaram durante um período da vida. Resta sempre a sensação amarga de projeto de vida interrompido com muitas mágoas para esquecer e será preciso muita força e fé  para renascer, para recomeçar.

Comments

comments

Ceiça Monteiro
Sobre a autora

Ceiça Monteiro - Acredito na força do pensamento e no poder das palavras, que precisam ser positivas para que nos tornemos mais iluminados.

queries in seconds.